27 de abr de 2016

Breve reflexão sobre o individualismo

Penso que uma reflexão filosófica acerca do individualismo seja imprescindível, pois acredito no benefício social quando estamos diante de um constante exercício de autocrítica.

Nascemos perdidos, quase sozinhos neste mundo. Certamente, partiremos dessa vida também sozinhos. Ficamos mais velhos e serenos com o passar dos anos, mas muitas vezes perdemos a espontaneidade. A propósito, as crianças têm muito a nos ensinar nesse sentido. Espontaneidade é essencial, pois é muito triste perder o brilho da vida em virtude de uma rotina forçada. Costumo dizer que eu pretendo encontrar meu amadurecimento ao reencontrar a seriedade que eu demonstrava em minhas brincadeiras de criança a partir de um bonito exercício Nietzschiano. Desse modo, o cultivo da individualidade jamais deve ser confundido com egoísmo. Afinal, individualismo é humanismo. 

O cultivo da alma por meio da arte é libertador, providencial nesse processo a meu ver. Penso que poucos meios são tão eficazes para nos indicar caminhos adequados de nos desvencilhar da servidão voluntária, a maldição moral do homem a meu ver. Sem dúvida, se as pessoas fossem tão críticas quanto a si mesmas como são com os outros, o mundo já seria bem melhor. 

Nesse sentido, recomendo a leitura de um excelente livro intitulado "Discurso da Servidão Voluntária" (Discours de la servitude volontaire). Trata-se de um excelente livro do francês Étienne de La Boétie, publicado após sua morte em 1563.

Abraço a todos.

Fabiano Borges

Nenhum comentário:

Postar um comentário